terça-feira, 22 de novembro de 2011

Haiti: alerta para a situação de crianças órfãs


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) fez um alerta ontem sobre a situação de muitas crianças sobreviventes do terremoto no Haiti, ocorrido há uma semana, cuja identificação é difícil pela falta de dados ou de familiares. Membros do Unicef relataram o caso de uma criança de dois anos e outra de sete que estão em um dos hospitais da missão de paz das Organizações das Nações Unidas (ONU), Minustah, sem ferimentos graves, mas que não têm para onde ir. A menina de dois anos sofre de paralisia cerebral e chegou ao hospital desidratada e em estado de choque.
No mesmo hospital está Sean, de sete anos, que chegou gritando ao hospital com poucos arranhões e ficou 12 horas em posição fetal. Segundo o Unicef, as enfermeiras disseram que o garoto contou que seus pais estão mortos.
Os médicos não querem dar alta sem saber quem tomará conta deles. A organização humanitária que está tentando montar refúgios para crianças como Sean e a “menina”, nos quais possam ser atendidas enquanto suas famílias são procuradas. O Unicef destaca que pode haver centenas, possivelmente milhares de crianças na mesma situação em Porto Príncipe, vagando pelas ruas ou nos hospitais, sem água, sem comida e sem proteção contra violência e abuso.
O governo haitiano recebeu da ajuda internacional mais alimentos do que pode armazenar e distribuir, disse ontem o responsável pela distribuição alimentícia, Michel Chancy. “Temos comida suficiente. O problema é a recepção e o armazenamento, tudo chegou em desordem. Há muita comida e não temos um estoque preciso de tudo”, disse Chancy.

Fonte: O Pioneiro
Foto: Gerald Herbert, AP


Nenhum comentário:

Postar um comentário