terça-feira, 26 de julho de 2011

Como está a auto-estima do meu filho?


A auto-estima é o retrato mental que a pessoa faz de si mesma. Quando ela acredita ser digna,capaz e adequada, tem um sentimento interno de "bem-estar" e se sente confiante em suas empresas. Podemos dizer que a auto-estima está no próprio âmago da saúde mental. Porém, até mesmo a pessoa mais confiante tem dificuldade de manter uma auto-imagem positiva sem alguma forma de confirmação.

A necessidade de se sentir amado, digno e capaz, começa na infância e é atendida quase exclusivamente pelas atitudes e palavras de encorajamento de pais, mães e outras pessoas importantes para a criança. Quando não são valorizadas, as crianças ficam inseguras de si mesmas e suscetíveis aos medos que acabam causando problemas emocionais e até mesmo intelectuais. Sem o reforço positivo dos responsáveis, fica muito difícil o bom desenvolvimento do amor próprio da criança e elas acabam desenvolvendo uma auto-imagem pobre.

As crianças com uma auto-imagem pobre estão em constante estado de carência. Elas normalmente têm as seguintes características:
• São excessivamente preocupadas em se destacar.
• São preocupadas com a imagem; “O que pensam de mim?”.
• Necessitam de aprovação constante.
• Humilham-se com a crítica.
• São incapacitadas pelo medo de errar.
• São esmagadas pelas menores falhas.

Deixar de estimular as crianças é muito ruim, mas seu amor-próprio é minado seriamente e elas aprendem a duvidar de si e até a odiar a si mesmas quando lhes aplicam:
• Disciplina punitiva e maus-tratos físicos.
• Avaliação crítica e julgamento áspero.
• Comparações desfavoráveis.
• Falta de confiança
• Falta de respeito.
• Falta de consideração.

Está comprovado que crianças com um alto sentido de valor pessoal são educadas com o uso da lógica, do raciocínio verbal. E crianças que apresentam uma auto-imagem fraca, recebem uma disciplina arbitrária e punitiva.

Como posso ajudar na formação da auto-estima do meu filho?
Leve sempre em consideração seus sentimentos, suas necessidades e procure ouvi-lo com atenção.
Procure descobrir e ressaltar as suas qualidades.
Demonstrando confiança e acreditando na capacidade do seu filho de realizar aquilo a que se propõe, você estará contribuindo de forma muito positiva.
Devemos ter equilíbrio para não deixar de incentivar os nossos filhos a progredirem
e a vencerem suas próprias limitações, porém sem fazer com que se considerem acima ou melhores do que os colegas.
Quando seu filho fizer algo inadequado, evite criticá-lo como pessoa, chame sua atenção para o que ele fez de errado. As censuras devem dirigir-se ao fato concreto e não à personalidade ou características da pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário