segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Elas aprendem o que vivenciam


Este livro vai lhe ajudar a refletir sobre o exemplo que está dando ao seus filhos. Ele trás ensinamento fundamentais para que os pais ajudem as crianças a lidar com o medo, a hospitalidade e a inveja, assim como a desenvolver a autoconfiança, a coragem, o senso de verdade e justiça, o amor e o respeito pelos outros.

Autor: Dorothy Law Nolte e Rachel Harris - 174 páginas - R$ 19,90


ORAR pelas nossas crianças!

Oração pelas Crianças

Jesus, quando estáveis na terra quisestes que as crianças se aproximassem de vós, através de vosso infinito amor. Nós vos pedimos por todas as crianças do mundo, esperança da humanidade futura; por todas as crianças amadas e desejadas por seus pais; por todas as crianças abandonadas, órfãs e que não conhecem de fato o que é o amor; pelas crianças de rua, que não encontram um espaço digno de crescimento e desenvolvimento; pelas que não têm um lar que os acolha e lhes dê aconchego e proteção; pelas que são exploradas sob a ganância do dinheiro, do prazer e do poder; pelos filhos que não conseguem de seus pais educação saudável e cuidados básicos; por aqueles que não vos conhecem. Senhor, cuidai delas, nós vos pedimos. Tende misericórdia e fazei com que cresçam em tamanho, sabedoria, graça, diante de Deus, nosso Pai e diante dos seres humanos, nosso irmãos. Suscitai nelas, Senhor, a fé e o amor, em nome de JESUS, amém!

Texto circulante na internet - sem menção da autoria


domingo, 27 de novembro de 2011

Somos todos iguais!



Ótimo louvor para ensinar sobre as diferenças entre as crianças. O objetivo é ensinar as diferenças de raça e que todos são amados por Deus. Todos são chamados para um só propósito.





O Livro sem palavras ( Métodos de Evangelismo Infantil)





VOCÊ CONHECE O LIVRO SEM PALAVRAS?

FOI CRIADO COM APENAS 3 CORES: PRETO, VERMELHO E BRANCO, POR CHARLES SPURGEON, EM 1866, QUANDO FOI PREGAR NO TABERNÁCULO METROPOLITANO, EM LONDRES.

SEU SERMÃO TINHA O TÍTULO "O LIVRO SEM PALAVRAS".

NÃO SE SABE QUANDO A PÁGINA DOURADA FOI ACRESCENTADA , MAS ELA TROUXE OUTRA DIMENSÃO AO LIVRO, RETRATANDO O AMOR DE DEUS E AS GLÓRIAS DE SEU LAR CELESTIAL.

NOVE ANOS MAIS TARDE, D.L. MOODY USOU O LIVRO COLORIDO EM UM CULTO PARA CRIANÇAS EM QUE CERCA DE 12 MIL ESTAVAM PRESENTES.

FANNY CROSBY, A COMPOSITORA DE VÁRIOS HINOS, TAMBÉM UTILIZOU MUITAS VEZES UM PEQUENO LIVRO DE BOLSO PARA CONTAR A LINDA HISTÓRIA ÀS CRIANÇAS A QUEM TANTO AMAVA.

EM 1895, O LIVRO FOI LEVADO PARA A ÍNDIA POR AMY CARMICHAEL.ELA CONFECCIONOU UMA BANDEIRA DE CETIM NAS CORES DO LIVRO E COLOCOU EM SEU CARRO DE BOIS.ONDE IA CONTAVA A HISTÓRIA, DIVULGANDO O EVANGELHO.

A ÚLTIMA COR, O VERDE, FOI ADICIONADO 15 ANOS MAIS TARDE, PARA REPRESENTAR O CRESCIMENTO NA NOVA VIDA.

OS ANOS SE SEGUIRAM, E O LIVRO SEM PALAVRAS FOI LEVADO A MUITOS PAÍSES E LUGARES. ATÉ HOJE, DEUS TEM USADO ESSE MEIO PARA COMUNICAR SUA MARAVILHOSA MENSAGEM DE SALVAÇÃO.

REVISTA CAMINHANDO E APRENDENDO DA JUERP/2T 2006



Como evangelizar usando o "Livro Sem Palavras"?

Primeiramente iniciamos com um quebra-gelo... peça para a criança ler uma das páginas do livro... seguramente ela vai dizer-lhe que não há nada escrito... esta já é a deixa para você começar a apresentar-lhe a mensagem do evangelho através das cores:
PÁGINA AMARELA - nesta página apresentamos Deus... o amarelo nos lembra o sol (criação de Deus) ou o ouro (material da rua do céu onde vive Deus - ou da coroa que mostra que Ele é Rei). Sobre Deus apresentamos as três verdades básicas a respeito Dele: Deus é Criador (Gn 1:1); Deus nos ama (Jo 3:16); Deus é Santo (Hc 1:13). Pelo fato de Ele ser Santo jamais o pecado entrará no céu... é aí que viramos para a página escura.

PÁGINA ESCURA - Nos confronta com nosso problema: o pecado! A Bíblia nos diz que todos nós somos pecadores (Rm 3:23). Já nascemos com esta natureza e precisamos ser castigados por isso... o castigo é a separação eterna de Deus, a morte eterna (Rm 6:23). Mas porque Deus nos ama Ele teve um plano maravilhoso para perdoar nossos pecados. Viramos para a página vermelha.

PÁGINA VERMELHA - Nos apresenta Jesus Cristo, o Perfeito Filho de Deus que sofreu nosso castigo na cruz do Calvário. Ele morreu por nossos pecados (I Co 15:3, 4), Ele derramou seu sangue para nos dar o seu perdão (Hb 9:22). Por causa de seu sacrifício nós podemos ter nossos pecados perdoados e nos tornarmos filhos de Deus. É o que a página branca ou limpa nos apresenta.

PÁGINA BRANCA (LIMPA) - é neste momento que perguntamos à criança se ela compreendeu a mensagem do livro. Se acredita que Deus a ama, reconhece que é pecadora e aceita o fato de que Cristo morreu por ela. Nesta página leia Jo 1:12 e mostre-a que se receber a Jesus Cristo ela se tornará filho de Deus. Incentive-a a orar ou ajude-a a fazer a oração de confissão. Depois disso fale sobre o crescimento cristão apresentando a página verde.

PÁGINA VERDE - como uma pequena semente deve crescer e tornar-se uma árvore, assim somos nós quando nascemos de novo. O crescimento cristão exige alguns passos: Confissão de pecados (I Jo 1:9), oração, leitura e obediência da Palavra, frequentar uma Igreja e testemunhar de Jesus Cristo para outros.

Este é um pequeno resumo de como apresentar o evangelho usando o Livro sem Palavras. Cuide para que ao apresentar este método a história flua como se fosse uma única história... use a criatividade e se não tiver uma Bíblia para ler ao menos um versículo chave de cada página recite-os de cor... para isso: memorize os seguintes versículos:

Deus te ama (João 3:16 - somente a primeira parte - Deus amou o mundo...), Somos pecadores (Romanos 3:23), Cristo morreu por nossos pecados (I Corintios 15:3 e 4), precisamos receber a Jesus Cristo (João 1:12), devemos crescer na nova vida e tudo começa com a confissão de pecados (I João 1:9).

http://joelbarbosa.blogspot.com/2011/02/metodo-de-evangelismo-1-o-livro-sem.html



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Educação...


‎"Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com 

adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho,

 inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela 

tampouco a sociedade muda."
( Paulo Freire )

A importância do brincar para a primeira infância



A importância do brincar para a primeira infância



A educação infantil compreende uma etapa na vida da criança na qual ela desenvolve-se no meio onde está inserida nos aspectos cognitivo, afetivo, moral, social e motor, de forma quantitativa e qualitativa. A partir de tal afirmativa, observa-se a importância do brincar para essas crianças, pois através das brincadeiras, elas poderão se desenvolver amplamente, em todos esses aspectos. De acordo com Batista (2005), uma pedagogia que contemple atividade lúdica, ou seja, jogos e brincadeiras enriquecem e ampliam o universo físico, social e cognitivo da criança, contribuindo assim para a estruturação da personalidade do indivíduo apto para atuar na sociedade. A brincadeira é um ato inerente à infância, pois é um ato indispensável à saúde física, emocional e intelectual. Através dela, possibilita-se que a criança desenvolva a linguagem, o pensamento, a socialização, a iniciativa e a auto-estima. Dessa forma, a criança estará sendo preparada para ser um cidadão capaz de enfrentar desafios, que são cada vez maiores na sociedade de hoje. Essa importante etapa da infância perpassa por 2 fases do desenvolvimento de Piaget, que são o período sensório motor (0 a 2 anos) e o período operatório concreto (2 a 7 anos). Cunha (1988) estabelece condutas, ações e tipos de brinquedos e jogos para a aprendizagem e o desenvolvimento infantil, de acordo com as fases do desenvolvimento proposto por Piaget. Segundo a autora, aconduta sensória motora compreende as ações de repetição, reconhecimento sensório motor, generalização sensória motora e o raciocínio prático. Alguns dos brinquedos citados para a faixa etária são: chocalho, cubos, patês de encaixe, brinquedos sonoros, bate-estacas, triciclo, livros etc. Já naconduta operatória concreta, devem ser estimuladas as ações de classificação, seriação, correspondência de agrupamento, relação imagens/palavras, enumeração, operações numéricas, conservação de quantidades físicas, ralações espaciais, relações temporais, coordenadas simples e raciocínio concreto, através de quebra-cabeças, jogos de encaixe, lotos, lousa, giz, boliche, fantoches, dominós, bolas, dentre outros. Através da brincadeira a criança compreende a si e ao outro, tendo todos os seus sentimentos voltados para a interação consigo mesma, com o outro e com o meio onde está inserida. Dessa forma, além de desenvolver-se em todos os aspectos, ela poderá adotar valores e atitudes que a acompanharão toda a sua vida.





Referências: BATISTA, Cleide Vitor Mussini. Brincar, escola e aprendizagem. In: UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ. Curso normal superior: habilitação para os anos iniciais do ensino fundamental: módulo 6. Londrina: UNOPAR: CDI, 2005.







CUNHA, N. H. S. Brinquedo, desafio e descobertas – subsídios para a utilização e confecção de brinquedos. Rio de Janeiro. FAE, 1988.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Um gesto de carinho das Crianças de Campinas-SP para com as crianças do Haiti.


Neste mês de novembro/2011, tive a oportunidade de colocar em prática aquilo que tenho ensinado as nossas crianças que é o IDE que o Senhor nos deixou. Como o nosso Pr. estará indo ao Haiti o mês que vem, então tive a idéia do motivá-las a escrever para as crianças do Haiti, e em cima disso também tive a oportunidade de mostrar a total realidade em quais elas vivem. Foi muito bom e as cartas ficaram abençoadas!
Não podemos perder nenhuma oportunidade de levar o amor do Pai aos que necessitam. Muitos acham que ser missionário é ir para outro país e etc. Todos nós somos chamados para essa missão e não devemos de maneira alguma recuar . 
PEQUENAS CRIANÇAS E GRANDES MISSIONÁRIOS.

Haiti: alerta para a situação de crianças órfãs


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) fez um alerta ontem sobre a situação de muitas crianças sobreviventes do terremoto no Haiti, ocorrido há uma semana, cuja identificação é difícil pela falta de dados ou de familiares. Membros do Unicef relataram o caso de uma criança de dois anos e outra de sete que estão em um dos hospitais da missão de paz das Organizações das Nações Unidas (ONU), Minustah, sem ferimentos graves, mas que não têm para onde ir. A menina de dois anos sofre de paralisia cerebral e chegou ao hospital desidratada e em estado de choque.
No mesmo hospital está Sean, de sete anos, que chegou gritando ao hospital com poucos arranhões e ficou 12 horas em posição fetal. Segundo o Unicef, as enfermeiras disseram que o garoto contou que seus pais estão mortos.
Os médicos não querem dar alta sem saber quem tomará conta deles. A organização humanitária que está tentando montar refúgios para crianças como Sean e a “menina”, nos quais possam ser atendidas enquanto suas famílias são procuradas. O Unicef destaca que pode haver centenas, possivelmente milhares de crianças na mesma situação em Porto Príncipe, vagando pelas ruas ou nos hospitais, sem água, sem comida e sem proteção contra violência e abuso.
O governo haitiano recebeu da ajuda internacional mais alimentos do que pode armazenar e distribuir, disse ontem o responsável pela distribuição alimentícia, Michel Chancy. “Temos comida suficiente. O problema é a recepção e o armazenamento, tudo chegou em desordem. Há muita comida e não temos um estoque preciso de tudo”, disse Chancy.

Fonte: O Pioneiro
Foto: Gerald Herbert, AP


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

23 dicas para seu filho se dar bem na escola

O papel dos pais é fundamental no desenvolvimento dos filhos

O apoio dos pais e a manutenção de um bom ambiente familiar como extensão da escola são fatores indispensáveis para o desenvolvimento educacional das crianças. A família pode colaborar de várias maneiras: participando das reuniões da escola e verificando o caderno do estudante diariamente; conversando sobre o cotidiano da escola - o que foi ensinado naquele dia; que tipo de trabalhos foram feitos com os colegas - e impedindo que a criança falte às aulas.

Para Priscila Cruz, diretora-executiva do Movimento Todos pela Educação, ações simples dos familiares na realidade educacional dos filhos podem fazer toda diferença. Ela indica o incentivo à comunicação por bilhetes em casa e que as crianças sejam motivadas a ler para os seus pais. "Não se pode entrar na lógica de como ajudar os filhos apenas nos estudos durante o período de provas. É preciso dizer como o pai pode ajudar na melhoria da alfabetização", diz. Vale lembrar que família pode -e deve-, sim, contribuir com as questões escolares, mas cabe à instituição de ensino a sistematização do conhecimento.

Veja a seguir como colaborar para que o seu filho se dê bem na escola a partir de dicas simples e práticas, baseadas em pesquisas e na experiência dos melhores profissionais da área no Brasil e no mundo.
Para ler, clique nos itens abaixo:


1. Ajude na melhoria do rendimento escolar
Pesquisas mostram que quando os pais acompanham e se envolvem com os estudos dos filhos as notas dos estudantes aumentam significativamente
2. Pergunte o que ele aprendeu
É muito importante perguntar o que ele aprendeu nas aulas e mostrar que você está interessado na vida escolar do seu filho. Se puder, peça que ele lhe ensine algo novo - isso vai ajudá-lo a fixar o conteúdo.
3. Não o deixe faltar às aulas
Assistir às aulas todos os dias, do começo ao fim, é importante para entender as matérias e não perder o fio da meada. Não o deixe faltar sem necessidade! Nem mesmo chegar atrasado.
4. Estimule-o a estudar
Filhos estimulados pelos pais a fazer os deveres têm um desempenho melhor. Atenção: estimular não é fazer a lição por ele, mas ajudá-lo a descobrir as respostas por conta própria.
5. Combine um horário de estudo
Combine um horário para os estudos e separe um lugar da casa para isso. Se usar a mesa de refeições, por exemplo, tire o que puder atrapalhar. Ah, não se esqueça de desligar a TV, para que ele se concentre nos deveres.
6. Mostre que estudar é um prazer
Estudar é a única obrigação do seu filho, certo? Mas, e se, além disso, fosse um prazer? Não seria melhor? Compartilhe esse momento. Acompanhe-o, ajude-o a chegar ás conclusões sozinho e mostre interesse, mesmo se não souber a resposta certa.
7. Seja paciente
Errar, já diz o ditado, é humano. E faz parte da aprendizagem. Se você tiver certeza de que o seu filho está errando, peça para ele ler novamente as respostas dos exercícios que tem dificuldade. Nunca, nunca, o chame de burro, de lento, de lerdinho. Cada pessoa tem um tempo para aprender - respeite isso.
8. Confira os cadernos
Olhe os cadernos e as apostilas dele e mostre interesse pelos trabalhos. Ao perceber que ele se dedicou, dê valor. Afinal, este é o trabalho dele nesta fase da vida.
9. Pergunte nas reuniões
Nas reuniões de pais e mestres, pergunte qual conteúdo será desenvolvido em cada matéria. A escola precisa ter um plano curricular, e você e outros pais devem cobrar isso.
10. Converso sobre as notas
Se ele estiver com nota baixa, converse com o professor e veja como você pode ajudar. Quanto antes ele começar o reforço escolar, melhor.
11. Garanta o acesso aos livros
Pesquisas mostram que quanto antes as crianças tiverem a cesso aos livros, melhor será o desempenho delas na escola, pois a leitura é base para todas as matérias. Atenção: não obrigue seu filho a ler. Estimule-o. A leitura tem de ser um momento de lazer e de prazer.
12. Ler sempre
Leia sempre - é bom para você excelente para o seu filho, que seguirá o seu exemplo naturalmente. Converse com ele sobre o livro, a revista ou o jornal que estiver lendo. Deixe seus livros ao alcance das mãos dele. Livro é para ser lido., não é para enfeitar prateleira.
13. Abuse das bibliotecas
Faça uma ficha para o seu filho na biblioteca mais próxima da sua casa. A maioria dos municípios do Brasil tem bibliotecas públicas e a inscrição é gratuita. Aproveite.
14. Brinque com o seu filho
Muitas brincadeiras são verdadeiros estímulos. Principalmente aquelas que incentivam a leitura, a escrita ou os cálculos. Exemplos de brincadeiras legais: forca; caça-palavras; palavras cruzadas.
15. Seja coerente
Seja coerente: suas atitudes refletem o que você pensa. Mostre que estudar é importante e ler, divertido. Estude e leia Ana frente do seu filho.
16. Use dicionário
É importante buscar o significado correto das palavras para aumentar o vocabulário e a capacidade de expressão. Também é bom saber usara a grafia certa. Incentive o seu filho a não abreviar no computador.
17. Escreva sempre
Escreva sempre que puder - bilhetes, cartas, e-mails, listas de compras... Pais que utilizam a escrita em casa ajudam na alfabetização dos filhos. Além disso, quem escreve melhor fala melhor!
18. Acompanhe o Ideb
Toda escola pública do país tem uma nota de 0 a 10: o Ideb (índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Você encontra a nota da escola do seu filho no educarparacrescer.abril.com.br/nota-da-escola e checa se o colégio tem uma Educação de qualidade.
19. Conheça os professores
É importante conhecer os professores do seu filho e se familiarizar com o ambiente que ele freqüenta todos os dias.
20. Valorize o professor
Apóie o trabalho dos professores e mostre que você admira a profissão. Afinal, eles serão os grandes responsáveis pela Educação de seu filho. Pergunte a eles o que será ensinado e como você pode ajudar.
21. Converse com o professor
Converse com o professor do seu filho sempre que possível. Se não concordar com a opinião do professor, fale com ele a sós, e nunca na frente do seu filho. Ensine, sempre, o seu filho a ouvir o professor e respeitá-lo.
22. Engaje-se na escola
Entre para a associação de pais. Não tenha vergonha de apresentar o seu ponto de vista à diretoria e aos professores da escola. Critique, elogie, faça sugestões sempre.
23. Vá às reuniões escolares
É nas reuniões que você conhece a escola a fundo, acompanha o aprendizado, esclarece dúvidas gerais, vê seu filho sob outros pontos de vista... Se não puder ir, chame alguém da família para ir no seu lugar.
 

 
 
Mais informações: